Uma ideia inusitada que se transformou numa solução inteligente e inesperada...

Faz tempo que me dedico à busca de alternativas sustentáveis para combate de incêndios em resíduos vegetais secos. Tenho feito isso focado, principalmente, no combate dos muitos incêndios criminosos que acontecem nas lavouras e palhadas da cana de açúcar e, também, nas florestas naturais e plantadas. Face aos bons resultados preliminares nesses dois anos tomo a liberdade de compartilhar com os colegas o perfil desse novo fertilizante.

FIROUT® é a patente de um fertilizante fluido com ação excelente contra o fogo no seu combate, extinção e bloqueio. Sua sustentabilidade é assegurada pela composição de matérias primas que são nutrientes de plantas e atóxicas ao homem, animais, ictiofauna e ictioflora. Seu pH de 7 a 8 indica por menor oxidação do ferro e alumínio, embora significativa por se tratar de composição salina. Pode ser aplicado puro ou diluído a até 15% por aspersão direta sobre resíduos vegetais comburentes e combustíveis, como o “mulch” do solo, por exemplo. Nesses resíduos permanecerá até ser lavado pelas águas naturais. Por aviões deve ser aplicado puro em pulverização a maiores volumes ou simplesmente alijado sobre o fogo por “bombardeio”, preferencialmente com formulações gel.

Devido à sua maior densidade (D= 1,4±0,05) as aplicações aéreas devem ser conduzidas a maior volume e com gotas grandes, acima de 500 micra, para que o lençol de neblina “sobreviva” ao deslocamento no ar quente, atue como “cobertor” sobre o fogo, consiga atravessar as correntes de convecção ascendentes típicas dos incêndios e atingir os materiais que estão sendo incinerados.

Na fervura produz gases anticomburentes: gás carbono, amônia e vapor d’água. Na calcinação gera cinza rica de micronutriente para plantas. Nos testes probatórios, em pequena escala, demonstrou grande eficácia no bloqueio do fogo intencional e excelente na sua extinção. Nas provas em campo, aplicado diluído até 15% sobre resíduos vegetais secos, impediu o caminhamento do fogo (o fogo “amuou”), bloqueando sua expansão e impedindo a reincidência no material tratado, mesmo quando intencional.

FIROUT® na forma de gel é a proposta para ser lançada por aviões sobre o fogo, procurando atingir onde os materiais que estão sendo efetivamente incinerados, mas o histórico desse tipo de uso é pequeno e, até agora, ocorreu apenas as aplicações do IBAMA no incêndio da floresta natural do Maranhão, em 2015. Sua eficiência nos testes de combate ao fogo em campo aberto, assemelhou-se aos melhores produtos importados. Tudo sinalizou para o grande potencial de uso desse fertilizante no combate aos incêndios de palhadas agrícolas, como as da colheita da cana de açúcar e das florestas plantadas, por exemplo.

FIROUT® viabilizou “aceiros químicos sustentáveis” em biomas agrossilvipastoris e florestas. É a primeira inovação brasileira de um fertilizante fluido biodegradável que é adequada ao combate ao fogo e à sua prevenção. No solo sua degradação é rápida pela biocenose, porque atua como fonte de nutrientes para a microflora e microfauna. Nas águas naturais dos rios, lagos, córregos e pequenos cursos é fonte de nutrientes para ictioflora e ictiofauna. Quimicamente é uma solução salina verdadeira de reação endergônica e solúvel na água em qualquer proporção, gerando soluções quase neutras quanto ao pH. A longevidade quando armazenado é grande, mas indeterminada até agora. Para facilitar as operações de “preparação de aceiros” as formulações foram coloridas em vários tons de azul escuro ao preto, enquanto para aplicações aéreas as cores vão do marrom escuro ao vermelho brilhante, porque favorecem a percepção do piloto durante a aplicação e à identificação da área atingida, pelas brigadas em terra.

FIROUT® nas operações em solo deve ser aspergido diretamente na base do fogo, onde acontece a incineração de materiais secos, tanto puro como diluído em tanques dos “caminhões vigia”. Aplicado puro ou diluído em pulverização a alto volume sobre o leito de resíduos vegetais secos bloqueia o “andamento do fogo” e permanece ativo até que águas naturais diluam e lavem o produto para o solo, onde será biodegradado rapidamente e nutrirá a microflora.

Não há risco para a pele humana e de animais ao contato direto, embora possa ser ou pouco irritante aos olhos pelo contato direto. Não é atrativo para o consumo oral. Pode ser embalado em contêineres adequados ao “bombardeio aéreo” de florestas, biomas naturais e em áreas de difícil acesso. Pode ser estocado por longo tempo em tanques de resinas, contêineres plásticos, tambores, bombonas e baldes de PPAD, sacos plásticos especiais e big bags apropriados. É prudente evitar o contato direto com a água, porque é muito solúvel. Na eventualidade de vazamentos basta lavar com água e aplicar a “água de limpeza” em solos agrícolas, como solução de fertilizante que é.

Nesse momento em que a frequência dos incêndios em nosso país está aumentando pense no FIROUT, uma solução inteligente!...

Companhia da Mídia